Para início de conversa, não vou morrer. Mas se por descuido vier acontecer, quero que seja com hora marcada.
Não tem cabimento morrermos à hora que a morte bem entende. Sabemos que vai acontecer e ficamos todos nessa expectativa mortal. Essa incerteza é uma tortura!
Com hora marcada é outra coisa. Podemos fazer convites com florzinhas, anjinhos, harpas e nuvens. Convidaremos os amigos e até os inimigos. Por que os inimigos? Pra eles ficarem com medo de virmos infernizar as noites deles. Só não convidarei o meu urologista. Depois explico!
Por que não posso agendar a hora da minha morte? Passei toda minha vida agendando meus compromissos. Tive hora marcada até para nascer. Já pensou o que teria acontecido se eu tivesse nascido a qualquer hora, num lugar qualquer? Coitada da minha mãe e de mim, fui seu primeiro filho. Dois inexperientes olhando um para a caro do outro sem saber o fazer. Eu ia abrir o bocão e chorar. Ela também.
Não quero nem pensar se o meu amigo Osmar não aparecer no meu velório. Eu daria minha vida para ver a cara dele chorando dizendo que nunca arranjará amigo igual a mim. E se ele arranjar virei beliscar-lhe a bunda na hora em que estiver fornicando com a mulher dele.
E os meus filhos? Talvez estejam em seus trabalhos e estudos ou viajando. Receberão a notícia que morri, assim, sem avisar? Como sei que me amam, será um alvoroço sem tamanho. Vão dar chilique e cair em prantos onde quer que estejam. As pessoas ao redor próximas largarão seus afazeres e, agoniadas, vão acudi-los e tentar acalmá-los. Definitivamente, filho meu não precisa dá esses vexames. Nem em caso de morte.
O meu inimigo também não precisa ser pego de surpresa. Quero que ele receba o convite e morra de ódio ao ver uma multidão no meu velório. Com certeza ele vai tentar reunir mais gente que eu. Do jeito que é canalha, aposto que vai pagar os coveiros para ficarem dizendo: - esse velório tá mais bonito que o do João Rios.
E a mulher da minha vida? Essa não merece ser avisada de última hora. Ela foi tão carinhosa, fiel e companheira – isso basta para não encher a página de elogios. Eu e ela planejamos viver a vida toda e lá vou eu morrer no meio da vida? Não aceito.
Meus pais, vizinhos e conhecidos se programaram nove meses para eu nascer. Foi tudo certinho. Por que a morte chega assim com ar de dona da verdade e pimba, leva a gente? Gosto mais da cegonha.
A morte que chega de repente e interrompe a vida da gente pela metade. Ninguém se programou para uma vida pela metade. Todos nós queremos uma vida plena até o fim. Vida interrompida é vida que ainda não chegou ao fim.
E os meus colegas do trabalho? Se eu morrer repentinamente o chefe pode não deixá-los ir ao velório porque ainda não acabaram as tarefas. Aliás, pediram-me para eu morrer numa segunda-feira porque eles teriam um fim de semana prolongado. (Esse mundo abriga cada cara-de-pau!)
E se as funerárias estiverem fechadas? E se o padre tiver um casamento na hora de me dá o último sacramento? Definitivamente não quero morrer de repente. É muito transtorno para muita gente. Até pra mim.
E o meu médico vai ficar sabendo da minha morte assim, de última hora? Ele poderia me salvar, e agora não pode fazer mais nada? Não é justo com ele que estudou tanto para salvar vidas.
E se o pessoal do Instituto Médico Legal estiver cheio de trabalho? Não quero ficar na fila engeladeirado. Quero ser atendido logo. Ouvi dizer que os corpos ficam nus numa geladeira morrendo de frio. Também não quero ficar na de número 24. Sou macho até depois de morto. Por falar nisso, se o meu proctologista ficar me olhando e rindo podem expulsá-lo do velório.
E os parentes e amigos que já estão no céu? Se eu morrer de repente será um transtorno para eles. Corro o risco de chegar lá e eles não estarem preparados para me receber. Não quero que façam aquela cara de: - olá, você por aqui? Quero abraçar um por um. Será muito bom ouvir novamente meus avós contarem histórias de lobisomem. Quero sentir novamente o cheiro do meu pai. Cheiro de homem, cheiro de macho... Cheiro de pai.
Finalizando. Por que não convidarei meu urologista? Porque ele foi a única pessoa que ao ver meu pinto, olhou-o com desdém, pegou-o com desprezo e cobrou como se tivesse feito a maior orgia.*

*Recebi pela internet a última parte desta frase. Autor desconhecido.
Elaborado em abril de 2010