Crônicas

Agenda de Amigos

 

Ontem à tarde eu passava próximo a um bar e alguém lá de dentro gritou meu nome. Era um velho amigo que há tempos não o encontrava. Estava mais gordo e de bigode. “Meu amigo, que bom te ver. Toma um gole comigo... estou um lixo”. Disse com uma garrafa de cerveja na mão antes mesmo de nos cumprimentarmos. Chifre.

Aceitei o gole, ouvi o choro por pouco tempo e segui meu caminho. Quase nada falei sobre a traição que sofreu porque trabalhamos juntos e sei muito do comportamento dele. Puxei a conversa para filhos, pandemia e seca em Brasília. Pensei em consolá-lo e mostrar que ele não era um lixo. Mas recuei pois todos os amigos que acharam que o mundo acabaria por causa de uma decepção amorosa tempos depois encontraram outra pessoa e nunca mais deram-me sequer um telefonema. Tenho certeza de que o mesmo acontecerá ao meu amigo. Torço por ele.

Mas um detalhe chamou minha atenção. Eu não lembrei o nome dele.

Ao chegar em casa busquei minhas agendas antigas, anteriores às agendas eletrônicas, e lá estava o nome dele. Feliz com a descoberta, folheei outras páginas à procura dos amigos e amigas que tiveram uma terceira pessoa no relacionamento, alguns sequer desconfiam da traição. Sorri em silêncio por dentro... aqui o silêncio não trai.

Percebi o quanto minha agenda é recheada de pessoas queridas e importantes. Todos os que estão ali fizeram parte da minha vida. Deram-se um pouco de si para que em algum momento eu fosse mais feliz. E fui! Algumas não as vejo desde o milênio passado.

Intrigou-me que entre nós não houve despedida, um até logo ou adeus. Fomos nos ausentando aos poucos, quase imperceptíveis tal qual a noite que se vai com o raiar do dia. Entendi que demos lugar a outras pessoas e com as quais escrevemos novas histórias. Foi uma saída, deixamos a porta aberta. Isso deu esperança de nos encontrarmos no futuro.

Então veio a pergunta: “Se eram boas companhias por que sumi de suas vidas?” Lamentei a ausência, bateu uma ponta de saudade, mas não me senti culpado, lembrei de Aristóteles para quem as amizades necessitam de compromisso e cumplicidade para permanecerem vivas.

Não consegui responder porque em alguns anos minha agenda tem poucos nomes enquanto noutros está completamente lotada. Alguns por amizade, outros por trabalho, não importa. Importa mesmo é que essas agendas revelam que sou feito de pessoas. Cada qual que anotei aqui tem parte no meu crescimento pessoal ou profissional. Deixaram partes de si e levaram um pouco de mim. Quase fui traído pelo dedo ligando para algumas pessoas, mas adiei. Elas sabem que estão no meu coração e na minha agenda de amigos.

 

João Rios Mendes, 28/06/2022